Dia da Saúde Mental: É essencial o bem-estar no trabalho

O Dia Mundial da Saúde Mental celebra-se a 10 de Outubro e este ano tem como lema “Saúde Mental no Trabalho”, proposto pela Federação Mundial da Saúde Mental.

A temática Saúde Mental e Trabalho é uma questão contemporânea e pertinente, uma vez que o trabalho ocupa uma parcela significativa da vida das pessoas. Pode ser gerador de prazer e bem-estar mas também pode suscitar angústia e sofrimento.

A realidade do trabalho é muito diversificada. Podem existir condições de trabalho que não proporcionam ao indivíduo oportunidades para desenvolver a sua autoestima. Outras, não garantem sequer a segurança ou não satisfazem adequadamente as necessidades sociais das pessoas.

Na sociedade actual, a maior parte das experiências sociais das pessoas estão ligadas ao aspecto profissional sendo que que a forma como essas experiências ocorrem é decisiva para a Saúde Mental do indivíduo. As organizações oferecem maior ou menor qualidade de vida no trabalho e adotam variadas políticas na gestão dos recursos humanos, influenciando os níveis de satisfação do trabalho.

Quando as condições de trabalho e os fatores humanos estão em equilíbrio, existem condições favoráveis para que o trabalhador desenvolva sentimentos de superioridade, autoestima e autoconfiança; aumente a motivação e a capacidade de trabalho; sinta satisfação no trabalho e consequentemente melhore a sua saúde (WHO, 2010).

Se existir desequilíbrio, os efeitos podem ter várias repercussões podendo surgir alterações ao nível psicológico, reacções distintas de comportamento, consequências psicofisiológicas adversas, incidentes/acidentes de trabalho e aumento do absentismo e de baixas médicas.

Acredita-se que o trabalho é benéfico para a saúde física e mental e que é promotor de bem-estar, agindo como elemento terapêutico. Se as condições de trabalho forem adequadas podem fazer regredir, por exemplo, os efeitos nocivos associados ao desemprego que se reflectem em sentimentos de inutilidade e baixa autoestima.

Por outro lado, é frequente encontrar pessoas que possuem a propensão a trabalhar em excesso e a divertir-se muito pouco. Outras passam os dias com pouca preocupação. Outras ainda, não conseguem fazer nem uma coisa nem outra. Sabe-se hoje que tanto o trabalho como a diversão, em proporções satisfatórias, são critérios para avaliar um funcionamento psíquico saudável.

Nesta medida, o Enfermeiro de Saúde Mental, através das suas competências específicas, deve procurar intervir positivamente noas organizações laborais através de projectos de promoção de Saúde Mental. É benéfico que participe na concepção de estratégias de empoderamento que permitam às pessoas desenvolver conhecimentos, competências e fatores de proteção de forma a eliminar ou reduzir os riscos de aparecimento de perturbação mental ou sofrimento psíquico.

Start typing and press Enter to search